Mitos e verdades sobre a amamentação

Mitos e verdades sobre a amamentação

A amamentação é uma das fases de maior aproximação entre mãe e bebê. Neste período, é natural que surjam muitas dúvidas sobre a produção do leite, os tipos de alimentos que facilitam a amamentação e se existe leite fraco e forte. Para esclarecer alguns desses questionamentos, preparamos uma relação de mitos e verdades sobre esse momento tão importante na vida das mamães.

1. O leite empedra

VERDADE. O excesso de leite, conhecido como empedramento do leite, acontece pelo simples fato de que, no começo da amamentação, a mulher produz mais leite do que o bebê consegue mamar. Esse leite acumulado tende a obstruir os ductos mamários e causar dor, inchaço e até febre.

2. Comer doce ajuda a produzir mais leite.

MITO. Não existe fórmula mágica para aumentar a quantidade de leite no seio. Alimentos que induzam um maior consumo de água, por causarem sede, como os doces, podem contribuir com o aumento da ingesta hídrica, melhorando assim a produção de leite.

3. Mulher com seios pequenos produzem pouco leite.

MITO. O tamanho do seio é definido pelo tecido de gordura e não pela glândula produtora de leite. Sendo assim, seios pequenos podem produzir bastante leite, assim como seios grandes podem produzir pouco leite.

4. Estresse pode secar o leite do peito.

VERDADE. Fatores emocionais como estresse, traumas e depressão pós-parto podem diminuir e até cessar por completo a produção de leite.

5. Quando a mãe produz muito leite e quer doar pode interferir na amamentação do filho.

MITO. O leite produzido e não ingerido pelo bebê, principalmente no início da gestação, deve ser desmamado para evitar o excesso de leite. Esse leite, em vez de desprezado, pode ser doado para os bancos de leite, onde será encaminhado para bebês que necessitam.

6. Meu leite é fraco.

MITO. O leite materno sempre possui os nutrientes necessários ao bebê, e todas as mulheres, mesmo desnutridas ou com doenças graves, são capazes de produzir este leite.

7. O tipo de parto interfere na amamentação

MITO. Todas as mulheres podem amamentar independente do tipo de parto. O que pode acontecer com aquelas que tiveram parto cesariano é que as restrições de mobilidade e as dores podem atrasar a descida do leite, mas não impedem a amamentação.

8. A criança deve mamar a cada duas ou três horas.

MITO. A criança em aleitamento materno exclusivo deve mamar em livre demanda, ou seja, na hora que quiser. Porém, após 3 horas de jejum, aumenta o risco de hipoglicemia, devendo-se oferecer a mama ao recém-nascido para minimizar o risco.

9. Amamentar aumenta os seios e os deixa flácidos.

MITO. A amamentação não deixará os seios flácidos. Mulheres com uma maior tendência à flacidez na pele devem estar atentas ao suporte adequado dos seios para evitar que essa pele se estique e sofra danos, causando acima flacidez.

10. Amamentar estreita o vínculo entre mãe e bebê

VERDADE. A amamentação é um momento de intensa cumplicidade entre a mãe e o bebê. Exames de imagem demonstram inclusive alterações cerebrais no bebê de acordo com o humor da mãe.

11. A alimentação na mãe não reflete no leite

MITO. Todo alimento pode influenciar no leite, principalmente os ricos em cafeína e gordura animal, porém nenhum alimento deve ser excluído sem antes ser testado. Toda mãe em amamentação deve ter uma dieta variada, rica em frutas e verduras e com uma boa ingesta de líquidos.

12. O leite materno não pode ser congelado.

MITO. O leite pode ser congelado, tanto para consumo posterior, como para doação. Em recipientes de vidro, com a tampa plástica, esterilizados, esse leite pode permanecer congelado por até 15 dias. Uma vez descongelado, deve ser consumido, pasteurizado ou descartado.

13. Um bebê com diarreia não deve ser amamentado

MITO. Bebês com diarreia devem ser amamentados, inclusive com uma frequência maior para evitar a desidratação.

14. A mãe deve lavar os mamilos antes de cada amamentação

VERDADE. Principalmente na evidência de algum ferimento ou rachadura. A higiene dos seios ajuda na prevenção de mastites (infecções no seio) e infecções gastrointestinais nos bebês.

15. As fórmulas atuais são quase como o leite materno

MITO. As formulas atuais são produzidas a partir do leite de vaca, e modificadas para parecerem com o leite materno, porém as diferenças ainda são grandes, principalmente com relação aos componentes imunológicos.

Ainda não tem plano?

Preencha os campos e receba uma proposta sem compromisso.

Notícias