Viroses são comuns em tempos de chuva e precisam de cuidados

Viroses são comuns em tempos de chuva e precisam de cuidados

Dor de garganta, nariz escorrendo, febre, espirros e tosse. Em casos mais graves, desconforto respiratório e baixa oxigenação sanguínea. Esses são sinais típicos de possíveis infecções virais que  ocorrem  em meio a essa mudança de tempo e temperatura.
 
Calor e umidade, com mudanças repentinas de temperatura, são fatores que favorecem a proliferação de vírus e bactérias. Nesse período, o ideal é evitar lugares com aglomerações, locais fechados.

Recuperação 
As viroses mais comuns nesse período de transição são as responsáveis por gripes e resfriados, que têm um ciclo de duração de, aproximadamente, sete dias. O ideal é cuidar dos sintomas nesse período, já que o vírus vai deixar o organismo naturalmente com o passar dos dias. 
 
Imunidade
 Entre os agravamentos mais preocupantes, estão as síndromes respiratórias e as infecções que fragilizam a imunidade, deixando o organismo mais suscetível a infecções bacterianas. Um exemplo é a virose que causa coriza, náusea, dor de cabeça e febre baixa. Com a imunidade debilitada, a pessoa pode contrair uma infecção bacteriana na garganta e, assim, precisará de antibiótico, mas só quem pode fazer a indicação e prescrever o medicamento é o médico.
 
As crianças são as mais vulneráveis às viroses, por isso, a recomendação é reforçar a imunidade dos pequenos. Boa alimentação, sono tranquilo, reforço de vitamina, atualização da caderneta de vacinação e cuidados básicos com a higiene das crianças já são boas atitudes para prevenir muitas doenças.

Ainda não tem plano?

Preencha os campos e receba uma proposta sem compromisso.

Notícias